Rondônia, 12 de dezembro de 2017

NOTÍCIAS

01/12/2017 07:47

Porto Velho

Dinheiro da indústria da multa pode ir também para os cofres das ONGS

Opinião de Primeira por Sérgio Pires

Dinheiro da indústria da multa pode ir também para os cofres das ONGS

A família Sarney ainda é muito poderosa. O patriarca É José Ribamar, que parece estar no poder desde sempre, incluindo o período em que a Presidência caiu no seu colo, com a morte de Tancredo Neves. Todos sabem o que ele fez para o Brasil. Sua filha Roseana governou o Maranhão, um dos estados mais pobres do país, cujos dirigentes estão cada vez mais ricos e poderosos. O terceiro nome é o de Sarney Filho, que há anos manda e desmanda nas questões ambientais, área que parece ter sido entregue, numa bandeja, à poderosa família. O que avançou, de real, o meio ambiente no país, sob Sarney? É amigão das ONGs (brasileiras e internacionais), um poderoso aliado que tem o poder da caneta para criar, por exemplo, leis que transformaram seu Ministério numa máquina de multas, beneficiando não apenas interesses do seu grupo, mas também os de parceiros e das ONGs, que recebem parte do dinheiro arrecadado. O último sinal concreto disso é um decreto publicado em outubro, que, claro, não passou pelo Congresso ou por qualquer mãos que não sejam as de Sarney, criando mais uma impressionante indústria de multas, feita não para proteger regiões afetadas, mas sim para encher os cofres da União e dos amigos. O decreto, abusivo e divulgado quase ás escondidas em páginas internas do Diário Oficial, é mais uma ação pornográfica, para achacar quem trabalha e produz e ainda tem aspectos que, num país sério, provocariam grita geral.

O esquema, resumidamente, é o seguinte: tanto as multas já lavradas, quanto aquelas que ainda serão assacadas contra eventuais agressores do meio ambiente, serão encaminhadas, ao menos em parte, para projetos de terceiros, incluindo ONGs. E a escolha de quem será beneficiado será única e exclusivamente do Ministério do Meio Ambiente, sem prestar contas a ninguém. Agora, veja-se a pegadinha que o decreto impõe ao pobre coitado que recebe as multas, geralmente milionárias. Infratores que quiserem usar parte do valor das multas em projetos de recuperação, terão um desconto de 35 por cento do total devido. Mas os que aceitarem “financiar” um programa escolhido pelos ambientalistas do governo (seja qual for, incluindo grana para ONGs internacionais), o desconto sobre a multa será de 60 por cento do valor. Deu pra entender a malandragem? Uma coisa vergonhosa, mas que demonstra mais uma vez como nossas autoridades tratam quem trabalha e quem produz. O decreto não fala em fiscalizar a forma de escolha e nem na forma como o dinheiro será aplicado. Caixa Dois? Porque não, se não haverá fiscalização! É mais uma contribuição dos Sarney para piorar o Brasil. Lamentável!

MAURÃO NO DIRETO AO PONTO

Pré candidato ao Governo, o presidente da Assembleia Legislativa, Maurão de Carvalho, fala sobre seus planos, sobre sua atuação em 26 anos de vida pública; sobre a eleição e reeleição por unanimidade para comandar o Parlamento; sobre o Hospital do Câncer; o futuro Hospital de Pronto Socorro de Porto Velho e muitos outros assuntos numa entrevista exclusiva ao programa Direto ao Ponto. Na entrevista concedida a Sérgio Pires, Maurão comentou muitos outros temas de interesse do Estado e destacou ações que considera prioritárias para que Rondônia continue como diferenciado sob vários prismas positivos, como têm sido nos últimos anos. Não deixe de assistir na Record News Rondônia, Canal 31, a partir das 10h30 deste sábado, 2 de dezembro. No mesmo horário, a entrevista vai ao ar pela Sky, no Canal 331 e pela Claro TV, Canal 441.1. A partir de domingo, você pode acompanhar a entrevista na integra no site Gente de Opinião, um dos mais respeitados de Rondônia, além de outros sites de notícias do Estado.

O BUROCRATA GENIAL

Algum burocrata, destes que se acha um gênio perdido no meio do seu trabalho meia boca, acordou um da com uma ideal sensacional, que resolveria de vez todos os problemas da travessia de BRs, país afora. Coisa simples e prática. Bastaria se colocar faixas para pedestres, em determinados pontos, não importa onde e se o tráfego é pesado ou não; se há perigo de que os veículos, dependendo da velocidade, não consigam parar a tempo; não importa se vidas fiquem em risco. O burocrata deve ter vibrado, quando sua ideia genial foi implantada. Sua genialidade chegou a todo o país, incluindo aqui, a assassina BR 364, onde, ao invés de mais e mais passarelas, criaram-se faixas de pedestres em locais extremamente perigosos. Não dá outra. De vez em quando, mais um morre. Como aconteceu essa semana, com um trabalhador de 64 ano, que tentava atravessar pela faixa do gênio, criada para protegê-lo. Faltou combinar com o motorista de caminhão que não conseguiu frear a tempo e o atropelou, causando sua morte na hora. Faltou combinar com motoristas em todas as rodovias onde as faixas da morte foram criadas. O burocrata, contudo, deve continuar achando sua ideia algo indescritivelmente genial!

ENGANANDO ATÉ O MPF!

Depois de ser enrolado várias vezes pela sempre incompetente Eletrobras Rondônia (o nome pomposo dado à Ceron), o Ministério Público Federal decidiu processar a estatal. Durante os últimos anos, a empresa empurrou com a barriga por várias vezes a solução para o programa Luz para Todos, que, em Rondônia, já deveria estar atendendo cerca de 20 mil famílias a mais. Em 2010 a Eletrobrás/Ceron, quando questionada pelo MPF sobre o andamento do programa, avisou que até 2012 haveria energia elétrica em uma determinada comunidade. Em 2012, ao ser cobrada novamente, já que não cumpriu a promessa, mudou a data para 2014. Cobrada em 2014, passou a responder que atenderia até 2016. “A Eletrobrás continua com a tática de postergar para anos que virão o cumprimento de metas que já deveriam estar todas cumpridas”, diz o Procurador da República Raphael Bevilaqua, autor da ação. Ou seja, a Eletrobras pode enganar a população durante anos, porque ela é indefesa. Mas quando faz o mesmo com o Ministério Público, aí o buraco é mais embaixo...

FESTA DA GAUCHADA

Parte da gauchada que vive em Porto Velho (e é muita gente, porque tem até CTG, o conhecido Centro de Tradições Gaúchas, na cidade), vibrou com a conquista do tricampeonato da Libertadores da América pelo Grêmio, nesta quarta. A festa pós jogo teve até carreata, com a participação de mais de 100 veículos. O ponto final de encontro dos gremistas foi junto à estátua do ex governador Jorge Teixeira, um torcedor fanático do clube gaúcho, que é um dos mais tradicionais do país, que recebeu, novamente, uma camiseta do Grêmio. Dessa vez não houve polêmica, como a recente, quando o secretário Antônio Ocampo, revoltado com o fato da estátua ser vestida com a camiseta de um clube, pôs fogo no que a fanática torcida gremista chama de “manto sagrado”. Não houve qualquer problema e a festa, embora rápida, foi muito curtida pelo grupo de torcedores. Quem ficou trancado dentro de casa foram os colorados, torcedores do Internacional, maior rival do Grêmio no Rio Grande. Os fanáticos pela camiseta vermelha estão quietos, porque seu clube vive um péssimo momento, recém chegado da Série B, onde sequer conseguiu ser campeão. Enquanto seus rivais...

NENHUM SUSPEITO PRESO

Protestos, faixas e até fechamento da Sete de Setembro por alguns momentos: estudantes da Unir foram protestar contra a violência que os atinge, com os seguidos assaltos aos ônibus que os transportam para as aulas, nos últimos tempos. O que surpreende no episódio é o silêncio das autoridades, inclusive no sentido de explicar porque até agora, mesmo com várias denúncias, com a descrição dos bandidos (eles, aliás, estão agindo com cada fez mais violência e crueldade, sem temer represálias), nenhum suspeito foi preso. Os bandidos agem sempre da mesma forma: embarcam no coletivo em alguns pontos do trajeto, como na parada da Vila Princesa, onde entraram no ônibus no último ataque. Sem qualquer segurança, os estudantes que batalham todos os dias para cumprir sua rigorosa vida universitária, até chegar ao sonhado diploma, têm que enfrentar mais esse perigo praticamente todos os dias. É uma espécie de loteria, até que os criminosos atacam. E o fazem com requintes de crueldade, agredindo covardemente os estudantes, como fizeram novamente. Será que nossa competente polícia não vai colocar as mãos nesses canalhas? E a segurança pública, não vai agir para proteger os universitários?

PARA RIR OU PRA CHORAR?

No ano passado, o povo boliviano foi às urnas, participar de um plebiscito. Em jogo, a possibilidade de que um ocupante de cargo público, aí obviamente incluindo seu Presidente da República, pudesse concorrer tantas vezes quantas quisesse ao mesmo cargo. Na ocasião, mais de 51 por cento de todos os eleitores disseram Não. Ou seja, o presidente Evo Morales, que já está no cargo porque pôde concorrer depois de mexer na Constituição e ter apoio do Judiciário (mas não da maioria do povo), teria que encerrar sua série de mandatos em 2019. Mas os bolivianos não contavam com a Justiça aparelhada. Ignorando o resultado do Plebiscito, um tal de Tribunal Constitucional Plurinacional, uma dessas maravilhas criadas em governos socialistas, disse que Evo Moraes pode concorrer quantas vezes quiser, porque impedí-lo seria ferir os direitos humanos dele. Obviamente que num país sério, isso seria motivo de risadas e ele, o Presidente, da chacota geral. Mas não onde a esquerda domina. Lá, todos que não pensam como ela, são fascistas e querem destruir suas adversários. Imagine-se do que nos livramos, com Lula, Dilma, José Dirceu e toda essa turma...

PERGUNTINHA

Você acha que o governo Michel Temer ficará melhor ou pior do que já é, com a saída do PSDB como partido da base de apoio ao Presidente da República?


Fonte:Sérgio Pires





Últimas notícias

Carregando...

Comentários

O comentário não representa a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.


Notícias relacionadas

Carregando...
Carregando...