Publicidade
Publicidade

20/01/2022 07:39h - Brasil - Política

Bolsonaro diz que suspendeu reajuste salarial para policiais federais

Presidente não confirma se PF, PRF e Depen receberão aumento neste ano; segundo ele, nem todas as categorias terão reajuste - Divulgação/Redes Sociais.

Publicidade
Publicidade
O presidente Jair Bolsonaro afirmou, nesta quarta-feira (19), que ainda não decidiu quais categorias do serviço público terão reajuste salarial neste ano e que suspendeu o aumento prometido a policiais. O chefe do Executivo tem até a próxima sexta-feira (21) para sancionar o Orçamento de 2022, que reserva R$ 1,736 bilhão para que o governo federal faça uma reestruturação em carreiras do funcionalismo público. Inicialmente, esse valor foi incluído na versão final do projeto de lei do Orçamento para este ano, aprovada pelo Congresso Nacional em dezembro de 2021, para atender apenas servidores da PF (Polícia Federal), da PRF (Polícia Rodoviária Federal), da Polícia Penal e do Depen (Departamento Penitenciário Nacional). Bolsonaro reconheceu que sua vontade era aumentar os salários dos policiais, mas disse que, no momento, "isso está suspenso". Ele afirmou que "nossa folha é superior a R$ 300 bilhões. Você pega R$ 2 bilhões, é menos de 1%. Se for diluir para todos, dá menos de 1% o valor [do reajuste]. Há uma grita de maneira geral, porque a intenção inicial foi essa, sim, reservar algum reajuste para policiais federais, policiais rodoviários federais e o pessoal do Depen. Então, isso está suspenso. Estamos aguardando o desenlace das ações". A intenção do governo de priorizar os policiais irritou outras categorias do funcionalismo público, que também reivindicaram reajuste nos seus salários e iniciaram movimentos de greve como forma de protesto, com muitos servidores entregando o cargo. O presidente disse que não quer "cometer injustiça perante o servidor público", mas garantiu que nem todos serão contemplados. "Fica aquela velha pergunta tosca. Vamos salvar três categorias ou vai todo mundo sofrer no corrente ano? O tempo vai dizer como a gente vai decidir. Reconheço o trabalho dos servidores, que merecem reajuste, mas não tem folga no Orçamento para o corrente ano", frisou. Segundo ele, é possível um reajuste amplo no Orçamento de 2023. "Conversei sobre o Orçamento do ano que vem, mas, por ocasião da feitura do mesmo, obviamente os servidores serão contemplados com o reajuste salarial merecido", disse em entrevista à Jovem Pan.
Publicidade

Fonte: R7

Publicidade

Notícias relacionadas