Publicidade
Publicidade

15/05/2022 08:47h - Brasília - Política

“Alguns” querem Brasil como Venezuela e Cuba, diz Bolsonaro no Twitter

Presidente posta vídeo de dono da Havan com venezuelanos e cubanos e fala que eles fugiram do socialismo. Foto: Alan Santos/PR.

O presidente Jair Bolsonaro (PL) disse na madrugada deste domingo (15.mai.2022) que “alguns” brasileiros querem que o Brasil siga o caminho da Venezuela e Cuba, que vivem as “consequências nefastas do comunismo”. O chefe do Executivo publicou em seu perfil no Twitter um vídeo em que Luciano Hang, dono da rede de lojas Havan, conversa com 6 funcionários venezuelanos e um cubano sobre a vida em seus países de origem. “[Hugo] Chaves [da Venezuela] e Fidel [Castro, de Cuba] já morreram, mas as consequências nefastas do comunismo continuam”, escreveu Bolsonaro na rede social. “A Argentina e o Chile estão no mesmo caminho da Venezuela”, continuou. “Alguns ainda querem isso para o Brasil. Caso conheça, peço que você faça também vídeo com esses que fugiram do socialismo e divulgue.”. No vídeo, os funcionários relataram enviar dinheiro para os familiares, que “passam fome”. Hang pediu que eles mandassem um recado para os jovens brasileiros e uma venezuelana falou para “não votar errado”, pois todo o Brasil “paga”. Assista: PODERDATA Bolsonaro parou de evoluir e a distância que o separa de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) ficou estável nos últimos 15 dias, segundo dados da pesquisa PoderData realizada de 8 a 10 de maio de 2022. O ex-presidente segue na liderança com 42% das intenções de voto na simulação de 1º turno das eleições de outubro que inclui uma lista de todos os pré-candidatos já anunciados. O presidente está com 35%. Lula tem 49% entre os que recebem até 2 salários mínimos por mês, contra 28% de Bolsonaro. Esse estrato corresponde a quase metade da população (46%). Numa disputa presidencial, quem vence entre os mais pobres dá um passo enorme para a vitória. O atual presidente, no entanto, se sai melhor entre os que ganham de 2 a 5 salários mínimos (41%) e mais de 5 salários (40%). Esses grupos representam 54% do eleitorado, mas a vantagem de Bolsonaro não é suficiente para impulsionar seus percentuais no quadro geral. A pesquisa foi realizada pelo PoderData, empresa do grupo Poder360 Jornalismo, com recursos próprios. Os dados foram coletados de 8 a 10 de maio de 2022, por meio de ligações para celulares e telefones fixos. Foram 3.000 entrevistas em 288 municípios nas 27 unidades da Federação. A margem de erro é de 2 pontos percentuais. O intervalo de confiança é de 95%. O registro no TSE é BR-08423/2022.
Publicidade

Fonte: Poder360

Publicidade

Notícias relacionadas

Publicidade