Rondônia, 13 de dezembro de 2017

NOTÍCIAS

09/10/2017 14:12

Tunísia

Casal é condenado à prisão na Tunísia após beijo em público

Segundo o advogado do homem, Ghazi Marbet, ambos foram considerados culpados por "ato sexual", "atentado ao pudor", "ofensa aos bons costumes", desobediência e desacato a um funcionário público.

Casal é condenado à prisão na Tunísia após beijo em público

Um tribunal tunisiano condenou a quatro e três meses de prisão, respectivamente, um franco-argelino e sua companheira tunisiana por se beijarem em público na saída de um restaurante em uma zona turística do norte de Túnis.

Segundo o advogado do homem, Ghazi Marbet, ambos foram considerados culpados por "ato sexual", "atentado ao pudor", "ofensa aos bons costumes", desobediência e desacato a um funcionário público.

No caso da acusada, que não foi identificada, além disso é atribuído o delito de "estado de embriaguez na via pública".

O homem, identificado como Nessie Ouadi, um franco-argelino de 33 anos, passava o fim de semana em Túnis junto com sua companheira quando a polícia os interpelou enquanto davam um beijo dentro de um veículo.

"Os agentes começaram a gritar e a insultar o jovem, obrigando de forma violenta a descer do carro, que logo depois revistaram o carro, inclusive as bagagens que estavam no porta-malas ", explicou o advogado.

Após ser conduzido à delegacia, cerca de 20 minutos mais tarde, um polícia os comunicou que poderiam voltar para suas casas, mas o jovem francês exigiu os nomes e número de placa dos agentes envolvidos no caso, advertindo que comunicaria o ocorrido à sua embaixada.

Uma advertência que, segundo o advogado, fez com que a situação saísse do controle.

Mrabet denunciou, além disso, que os agentes cometeram numerosas irregularidades, como a negar o comparecimento de um advogado e o direito a uma ligação telefônica.

O incidente suscitou um grande debate público sobre as liberdades e seus limites em Túnis, e sobre o retrocesso na sociedade seis anos depois do triunfo da chamada "Revolução de Jasmim", que acabou com a ditadura.

O fato causou comoção nas redes sociais e muitos questionaram a atual situação da justiça e das forças de segurança.

Há quem se pergunte se existe "uma polícia da moral" na Tunísia como é o caso de outros países como a Arábia Saudita.


Fonte:EFE





Últimas notícias

Carregando...

Comentários

O comentário não representa a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.


Notícias relacionadas

Carregando...
Carregando...